Vídeo

Vídeo de apresentação

Propinas Regime: Ensino a distância, online Língua de Ensino: Português

O Doutoramento em Estudos Medievais resulta de uma parceria entre a UAb e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH-NOVA). Destina-se a quem pretende desenvolver trabalho de pesquisa aprofundada e interdisciplinar na área dos Estudos Medievais. Visa promover, assim, a realização de investigação independente, inovadora e autónoma e estimular a capacidade de produção de artigos. O curso exige  pensamento crítico sobre os materiais e as problemáticas dos Estudos Medievais, recorrendo à interdisciplinaridade e à comparabilidade como forma de melhor enquadrar os problemas; aplicação de métodos, conceitos e teorias em contextos interdisciplinares, tanto mais genéricos como mais especializados; aprofundar o domínio das técnicas, ferramentas, metodologias e conceitos teóricos que constituem a condição necessária à prática da investigação em Estudos Medievais de nível avançado.

O ciclo de estudos está acreditado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES)

Acreditação

Guião de auto-avaliação

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

Estrutura Curricular:

O curso é lecionado em regime de e-learning, de acordo com o modelo pedagógico da Universidade Aberta e complementado por um retiro doutoral presencial, de uma semana; durante este período, os discentes contactam com os professores do Curso e com conferencistas internacionais, devendo ainda participar numa pequena conferência de estudos pós-graduados, no sentido de promover a sua integração no meio académico profissional.

O curso organiza-se em 8 semestres:
Os dois primeiros destinam-se ao aprofundamento da formação, frequentando os doutorandos seis Seminários. O projeto de tese é desenvolvido no âmbito do Seminário de Problemáticas em Estudos Medievais.
Os 6 semestres seguintes são ocupados com a investigação conducente à realização da tese de Doutoramento. Cada Seminário é assegurado por professores de 4 áreas disciplinares diferentes, não se organizando em módulos autónomos mas em articulação, promovendo uma verdadeira interdisciplinaridade nas abordagens.
No final do 1º ano, o projeto final de tese é avaliado publicamente por um júri designado de acordo com o estipulado em regulamento próprio. A tese é obrigatoriamente orientada por dois professores de áreas disciplinares distintas.