Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa II
Cursos:
Código: 51052
Departamento: DH
ECTS: 6
Área científica: Literatura
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Esta Unidade curricular é dedicada ao estudo das literaturas produzidas na Guiné, em São Tomé e Príncipe e Cabo Verde. No que diz respeito à poesia, o estudo será conduzido de modo a construir uma visão geral da poesia destes países lusófonos, através da leitura de uma antologia de poemas elaborada para esse fim. Quanto à prosa, foram seleccionadas três obras: Kikia Matcho, de Filinto de Barros, Caminho, 1999 (Guiné), Rosa do Riboque, de Albertino Bragança, Caminho, 1997 (São Tomé) e No Inferno, de Arménio Vieira, Caminho, 2000 (Cabo Verde) - todas de leitura obrigatória. Delas partirá o estudo sobre a prosa produzida nestes países de língua oficial portuguesa.

  1. Literaturas Africanas
  2. Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa
  3. Estudos Pós-coloniais

• Conhecer os momentos mais marcantes no processo de autonomização e de afirmação das literaturas de Cabo Verde, da Guiné e de São Tomé e Príncipe.
• Identificar diferenças e características comuns às literaturas de Cabo Verde, da Guiné e de São Tomé e Príncipe.

1. O percurso da poesia em Cabo Verde
2. Linhas de leitura de No Inferno de Arménio Vieira
3. O percurso da poesia em São Tomé e Príncipe
4. O percurso da poesia na Guiné-Bissau
5. Do romance colonial à ficção actual em São Tomé
6. Linhas de leitura de Rosa do Riboque de Albertino Bragança
7. A construção da prosa ficcional na Guiné-Bissa
8. Linhas de leitura de Kikia Matcho de Filinto de Barros

Bibiliografia de leitura obrigatória:
BARROS, Filinto, Kikia Matcho - qualquer edição.
BRAGANÇA, Albertino de, Rosa do Riboque – qualquer edição.
VIEIRA, Arménio, No Inferno – qualquer edição.

Bibliografia complementar:
FERREIRA, Manuel, Literaturas Africanas de Expressão Portuguesas I, Lisboa, Biblioteca Breve, ICALP, 1986 (2ª edição).
LARANJEIRA, Pires, Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa, Lisboa, Universidade Aberta, 1995.
LARANJEIRA, Pires, Ensaios Afro-Literários, Lisboa, Novo Imbondeiro, s.d.
MARGARIDO, Alfredo, Estudos sobre Literaturas das Nações Africanas de Língua Portuguesa<7I>, Lisboa, A Regra do Jogo, 1980
MATA, Inocência, Diálogo com as ilhas (Sobre a cultura e literatura de São Tomé e Príncipe), Lisboa, Colibri, 1998.

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre lectivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então, uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.