Literatura de Expressão Portuguesa na Ásia
Cursos:
Código: 51039
Departamento: DH
ECTS: 6
Área científica: Literatura
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Esta Unidade Curricular fornece noções sobre a produção literária de Timor-Leste, de Macau e de outras regiões asiáticas onde se fez sentir a influência portuguesa. Pretende perspectivar essas literaturas nos seus contextos históricos, políticos, sociais. Destaca alguns autores paradigmáticos como Francisco Borja da Costa, Luís Cardoso e Xanana Gusmão (Timor); Henrique Senna Fernandes, Yao Jingming, Rodrigo Leal de Carvalho, Fernanda Dias ou Deolinda da Conceição (Macau) que enriquecem e problematizam essa literatura.

  1. Literaturas Lusófonas 
  2. Literatura de Macau
  3. Literatura de Timor

No final desta Unidade Curricular, os estudantes serão capazes de:
•adquirir uma visão panorâmica da literatura de expressão portuguesa produzida na Ásia;
•apreender as características estéticas e ideológicas mais marcantes da produção literária de alguns autores específicos;
•adquirir a capacidade de reflexão crítica e de expressão no âmbito do estudo dos autores em causa, dos diferentes momentos histórico-literários e das diversas temáticas abordadas.

Tópico 1 – Panorâmica da(s) Literatura(s) Lusófona(s) na Ásia
Tópico 2 – Reflexão sobre a Lusofonia
Tópico 3 – Poesia e Ficção em Macau e Timor: Algumas Tendências
Tópico 4 – Ficção de Macau
Tópico 5 – Ficção de Timor

Bibliografia Obrigatória
Fernandes, Henrique de Senna. (1986). Amor e Dedinhos de Pé - Romance de Macau. Macau: Instituto Cultural de Macau.
Cardoso, Luís. (2002). Crónica de uma Travessia: Época do Ai-Dik-Funam. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Bibliografia de Referência
Esperança, João Paulo, et al., O que é a Lusofonia. Gente. Culturas e Temas, Díli, Instituto Camões, 2005.
Laranjeira, Pires, Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa, Lisboa, Universidade Aberta, 1995 (para uma introdução à problemática da lusofonia).
Said, Edward, Orientalismo – O Oriente como invenção do Ocidente, São Paulo, Companhia das Letras, 1996.

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre lectivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então, uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

É recomendada capacidade de leitura em Língua Inglesa.