Sociedade e Cultura Portuguesas
Cursos:
Código: 31118
Departamento: DH
ECTS: 6
Área científica: Cultura
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Esta unidade curricular pretende oferecer ao estudante uma visão transversal do ideário português presente nos campos da política da sociedade e das produções culturais e artísticos que fundam a identidade portuguesa desde oitocentos até à contemporaneidade. Assim, procurar-se-á sublinhar o valor de algumas etapas da nossa História recente, a partir da Revolução Liberal, e dos mitos ou dos paradigmas simbólicos, desde aí consolidados e identificativos do modo de ser português, sublinhando o seu impacto cultural e civilizacional na consciência que a sociedade portuguesa e da sua própria especificidade como nação e povo. A abordagem da produção literária e do património intelectual deste período (principais pensadores, escritores e respectivas obras) constituirá elemento fundamental de estudo, enquanto manifestação privilegiada das várias tendências culturais e das suas motivações.

  1. História
  2. Literatura
  3. Cultura
  4. Filosofia

• O conhecimento dos principais factos históricos culturais e políticos os recentes de maior incidência cultural na sociedade portuguesa;
• O conhecimento dos principais movimentos intelectuais e artísticos da sociedade portuguesa desde o início do século XIX;
• A consciência das especificidades culturais do povo português e dos mitos transversais;
• Uma perspectiva alargada e crítica da história e da cultura portuguesas.

• Portugal: que nação? Algumas considerações preliminares sobre o processo de construção da identidade nacional.
• Liberalismo e Ideário romântico.
• Da Questão Coimbrã ao decadentismo finissecular.
• Grandes mitos transversais à cultura portuguesa.
• Do início do século XX ao Estado Novo. Modernismo, Integralismo e Racionalismo crítico.
• O Portugal democrático. Leituras recentes da cultura e da Identidade nacionais.

Leitura obrigatória:
CATROGA, Fernando; CARVALHO, Paulo A.M. Archer de, Sociedade e Cultura Portuguesas II. Lisboa, Universidade Aberta, 1996.
MATTOSO, José, A Identidade Nacional. Lisboa, Gradiva, 1998.
NORONHA, Maria Teresa de, Caderno de Apoio de Sociedade e Cultura Portuguesas. Lisboa, Universidade Aberta, 2008.
Leitura complementar:
BAUDELAIRE, Charles, O pintor da vida moderna. Lisboa, Vega, 1993.
CLEMENTE, Manuel, Portugal e os Portugueses. Lisboa, Assírio e Alvim, 2008
ELIOT, T.S., Notes towards the definition of culture, London/Boston, Faber and Faber, s.d.
MATTOSO, José (coord), História de Portugal. Lisboa, Círculo de Leitores, 1993.
NORONHA Maria Teresa de. A SAUDADE. Lisboa. Imprensa Nacional Casa da Moeda. 2007
PIRES, António Machado, A Ideia de Decadência na Geração de 70. 2ª ed., Lisboa, Veja, 1992.
REIS, Carlos, As Conferências do Casino. Lisboa, Alfa, 1990.
SARAIVA, J.A., Para a História da Cultura em Portugal. Lisboa, Bertrand, 1946. Vols 1 e 2.
SERRÃO, Joel, Dicionário de História de Portugal. Porto, Livraria Figueirinhas, 1990.
SIMÕES, João Gaspar, A Geração de 70. Lisboa, Ed. Inquérito, s.d.

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre lectivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respectivamente, 40% e 60% na classificação final.
Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.