Sociedade e Cultura Europeias
Código: 31113
Departamento: DH
ECTS: 6
Área científica: Cultura
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

A unidade curricular tem como objectivo propor uma reflexão em torno da importância das matrizes culturais judaico-cristãs e greco-romanas  para a formação da identidade europeia. Nesse sentido serão analisados a transição do politeísmo para o monoteísmo e os diferentes contributos estéticos e políticos das culturas gregas e romanas. Posteriormente analisa-se a forma como os discursos antes observados repercutem na Idade Média e no Renascimento.

  1. Sociedade
  2. Cultura
  3. Tradição
  4. Identidade

Identificar as matrizes culturais politeístas e monoteístas.
Identificar o conceito de polis.
Compreender a importância dos rituais para a formação da coerência do grupo.
Analisar os diferentes contributos das matrizes em causa.

1. Antecentes Clássicos
2. A emergência do cristianismo
3. Representações materiais/artísticas da religiosidade
4. Da urbanidade romana ao discurso arquitectónico do cristianismo
5. Concebendo representações da humanidade
6. O discurso e a elocução – palavra e razão
7. Mediações artísticas na relação com o transcendente
8. Invenção da modernidade

Boorstin, Daniel J.. Os Criadores – Uma História dos Heróis da Imaginação (Lisboa: Gradiva, 1993)
Lourenço, Frederico. Grécia Revisitada (Lisboa: Cotovia, 2004)
Mendonça, José Tolentino.A Leitura Infinita – Bíblias e Interpretação (Lisboa: Assírio & Alvim, 2008)

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.