Seminário de Aprofundamento Metodológico
Código: 33006
Departamento: DH
ECTS: 15
Área científica: História
Total de horas trabalho: 390
Total de horas de contacto: 60

Neste seminário analisa-se criticamente o modo de elaborar  uma tese na área dos estudos históricos e do património e debate-se os pressupostos conceptuais, metodológicos e formais da elaboração de uma tese de doutoramento. Examina-se o necessário equilíbrio entre os tópicos, as metodologias e as fontes, atendendo-se às necessárias reformulações a ter em atenção durante o processo de elaboração de uma tese de doutoramento. O percurso que os doutorandos seguem ao longo do semestre passa pela análise circunstanciada de trabalhos académicos da área da História.

Historigrafia
Metodologias
Trabalho académico

-Capacidade de analisar criticamente  trabalhos na área dos estudos históricos e do Património.
-Domínio das técnicas formais da construção de um projeto de investigação.
-Capacidade de avaliar o necessário equilíbrio entre os tópicos, as fontes e o prazo de elaboração de uma tese de doutoramento.
-Capacidade de equacionar as abordagens metodológicas com os temas e as cronologias em estudo.
-Domínio das ferramentas concetuais e metodológicas a cumprir na elaboração de uma tese de doutoramento.

Serão 3 os tópicos desenvolvidos nesta unidade curricular:
  1. Fontes Documentais : Arquivos e Bibliotecas;
  2. As Etapas de uma investigação;
  3. Metodologias dos Estudos Históricos e do Património.
 
 

Bibliografia e materiais disponibilizados na plataforma moodle
ALCINA FRANCH, José – Aprender a investigar. Métodos de trabajo para la redacción de tesis doctorales (Humanidades y Ciencias Sociales). Madrid: Compañia Literaria, 1994.
ARGAN, Giulio Carlo, Fagiolo, Maurízio, Guia da História da Arte, Lisboa, Editorial Estampa, 1992
ARENAS, José Fernandez, Teoria y Metodologia de la História del Arte, Barcelona, 1986.
AZEVEDO, Mário -Teses, relatórios e trabalhos escolares. 6ª ed.. Lisboa: Universidade Católica, 2008.
CARVALHO, J. Eduardo - Metodologia do Trabalho Científico, “Saber-Fazer” da investigação para dissertações e tese., Lisboa: Escolar Editora, 2002.
CHAVARRÍA OLARTE, Marcela; VILLALOBOS, Marveya - Orientaciones para la elaboración y presentación de tesis. México: Trillas, 1993.
FRADA, João José Cúcio – Guia prático para elaboração e apresentação de trabalhos científicos. 3.ª ed.. Lisboa: Cosmos, 1993.
LAMOUR, Henri – Technique de la dissertation. Guide complet de la dissertation dans le STAPS. Paris: PUF, 1990.
PAIVA, Lucília - Referências bibliográficas e citações: Como fazer? (Norma Portuguesa), disponível em http://teses.mediateca.pt/apoio/html/np405/ref_biblio.htm [última leitura em 27-01-2017].
SERRÃO, Vitor -  A Cripto- História de Arte, Livros Horizonte, Lisboa 2001.
SILVA, Augusto Santos & Pinto José Madureira (org.) - Metodologia das Ciências Sociais. Porto: Ed. Afrontamento, 2007.
VIEGAS, Waldyr - Fundamentos Lógicos da Metodologia Científica. 3ª ed, Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2007. 
 

E-learning

A UC ancora-se no estudo, compreensão e reflexão individual e no trabalho colaborativo. A avaliação final pondera a avaliação contínua e somativa final. Nas instruções de cada actividade especificam-se os objectivos e procedimentos para debates e trabalhos individuais, avalia-se o domínio dos conceitos, a problematização e estruturação crítica e inovadora dos tópicos, a capacidade de síntese. Os trabalhos individuais são fichas de leitura, comentários, recensões, plano do trabalho de investigação individual final, relatórios de investigação. Em fóruns, visando o trabalho colaborativo, o estudante interage com os colegas e o professor, debate leituras, constrói sínteses, esclarece dúvidas. Avalia-se a identificação dos aspectos principais e acessórios, a problematização e relevância da argumentação. No final desenvolve-se o trabalho individual de investigação final avaliando-se a análise e enquadramento do tema, a utilização apropriada dos conceitos, a fundamentação teórica, a investigação, reflexão e problematização crítica.

Os estudantes têm de ter acesso a um computador com ligação à Internet, ter um endereço de correio electrónico e, desejavelmente, possuir literacia informática na perspectiva do utilizador.
Esta unidade curricular é leccionada em língua portuguesa.
A bibliografia será em  português, castelhano, francês e inglês.