Psicologia Comunitária
Código: 41108
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: Psicologia
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Esta Unidade Curricular visa proporcionar conhecimentos teóricos e metodológicos da Psicologia Comunitária, dotando os estudantes de competências para a promoção do bem-estar e desenvolvimento das populações, em particular dos indivíduos e grupos que se encontram em situação de vulnerabilidade psicológica e social. Assim, habilita os estudantes para o desenvolvimento da atividade profissional e cientifica no domínio da avaliação e da intervenção social comunitária. Enquadra a intervenção em diferentes contextos comunitários. As temáticas desenvolvidas incidem sobre a participação ativa e colaborativa dos indivíduos e das populações, o sentimento de pertença a uma comunidade, a participação e envolvimento comunitário, o empowerment, a liderança comunitária e o desenvolvimento de redes de suporte social informal e formal. Indivíduos, grupos e profissionais são compreendidos nos seus contextos sócio ecológicos e como coatores das políticas de intervenção social e dos programas de intervenção psicossocial.

Comunidade
Desenvolvimento
Vulnerabilidade psicológica e social
Empowerment

  • Aptidão para analisar de forma crítica e criteriosa, e com base na evidência, os objetivos, métodos e estratégias delineados no âmbito de um programa de intervenção comunitária
  • Domínio dos processos de elaboração, implementação e avaliação de projetos comunitários
  • Domínio de estratégias e técnicas de intervenção nos sistemas pessoais e contextuais, considerando os respetivos objetivos, processos de mudança e eficácia
  • Aptidão para intervir com competência psicossocial e ecológico-cultural adaptada
  • Capacidade de perspetivar a adequabilidade das estratégias às necessidades dos indivíduos, das populações e dos contextos de intervenção

  • Fundamentos teóricos em Psicologia Comunitária
  • Ecologia e Psicologia Comunitária
  • Estruturas, processos e caraterísticas da intervenção Comunitária
  • Práticas em Psicologia Comunitária
  • Investigação em Psicologia Comunitária

Bandeira, A., Marques, M. J., Cunha, P., & Ranchordas P. (2007).  Projectos de Inovação Comunitária. Manual de Suporte à Implementação da Metodologia. Centro Ismaili.

González, A. M. (Coord) (2001). Psicología comunitaria. Fundamentos y aplicaciones. Madrid: Síntesis
Gronita, J., Bernardo, A., Marques, J. e Matos, C. (2011) Intervenção Precoce. O processo de construção de Boas Práticas.  Fundação Calouste Gulbenkian. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.2/7364

Gronita, J., Pimentel, J., Matos, C., Bernardo e A., Marques, J. (2016). E quando atendemos crianças... diferentes. Como podem os profissionais orientar as famílias com criança com deficiência. (2ª Ed.)  Fundação Calouste Gulbenkian.
Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.2/7366

Menezes, I. (2010). Intervenção comunitária. Uma perspetiva Psicológica, (2ª Ed).  Levpsic.

Ornelas, J. (2008). Psicologia Comunitária.  Fim do Século.

Sánchez-Vidal, A. (2007) Manual de Psicología Comunitária: Un enfoque integrado.  Ediciones Pirámide.

(Bibliografia adicional disponibilizada na turma virtual)


 

E-learning

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

Os(as) estudantes devem consultar com regularidade a página da unidade curricular: www.moodle.univ-ab.pt/moodle/