Problemática do Conhecimento Histórico
Código: 31103
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: História
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Esta unidade curricular centra-se nos fundamentos epistemológicos do conhecimento histórico. Ao longo do processo de ensino/aprendizagem, proceder-se-á à desmontagem das bases da construção deste saber, respeitando dois tópicos:
• as hipóteses de apreender o objeto de estudo da História, atendendo aos limites impostos pelas fontes, à interferência do investigador e aos métodos a que este recorre para conduzir cientificamente a sua pesquisa;
• o lugar da História no contexto dos saberes e das ciências.
 
Paralelamente ao desenvolvimento dos conteúdos da unidade curricular os estudantes serão introduzidos às técnicas e alertados para a ética da elaboração de trabalhos académicos.

Conhecimento histórico
Metodologia da História
Epistemologia da História
Historiadores

• Domínio dos problemas epistemológicos do conhecimento histórico;
• Capacidade de reconhecer as bases metodológicas utilizadas na construção do conhecimento histórico;
• Capacidade de problematizar a definição da História enquanto saber;
• Domínio de técnicas básicas de elaboração de trabalhos académicos.
 

I. Os Historiadores, o passado e a atualidade.
II. A construção do conhecimento histórico
    1. Da formulação dos problemas à seleção dos documentos.
    2. O conceito de fonte, condições de conservação e de preservação.
    3. Os métodos: crítica das fontes e tratamento da informação.
III. A definição do conhecimento histórico
    1. Uma ciência? Um discurso cientificamente conduzido? Uma arte?
IV. A elaboração de trabalhos científicos: a ética e as normas.

Bibliografia básica:
AZEVEDO, Carlos A. Moreira, AZEVEDO, Ana Gonçalves - Metodologia Científica. Contributos práticos para a elaboração de trabalhos académicos. Lisboa: Ed. Universidade Católica, 1996.
BLOCH, Marc - Introdução à história. Col. "Forum da História". Mira-Sintra/Mem Martins: Publicações Europa América, 1997 [Edição revista, aumentada e criticada por Etienne Bloch, com prefácio de Jacques le Goff].
CATROGA, Fernando - Memória, História e Historiografia. Coimbra: Quarteto, 2002.
CORRAL, José Luis; GARCÍA HERRERO, Carmen; NAVARRO, Germán - Taller de Historia: el oficio que amamos. Barcelona:  Edhasa, 2006.
DUBY, Georges - A História continua, Porto: Edições ASA, 1992.
ENCARNAÇÃO, José d’ (coord.) – As oficinas da História. Coimbra: Fac. Letras/Edições Colibri, 2002.
MATTOSO, José - A escrita da história. Teoria e métodos, Lisboa: Ed. Estampa, 1988.
MORADIELLOS, Enrique - El oficio de historiador. Madrid: Siglo XXI Editores, 1994.

N.B. As obras/parte de obras indicadas são disponibilizadas online.
 
 

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.