Princípios de Didáctica
Código: 11028
Departamento: DEED
ECTS: 6
Área científica: Ciências da Educação
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Pretende-se com esta unidade curricular promover uma reflexão sobre os fundamentos das práticas educativas. A partir da análise da função social do ensino, de diferentes conceções a aprendizagem e do papel do professor e do aluno, definem-se critérios para a elaboração de sequências didáticas.
No primeiro tema a partir da análise da função social do ensino, de diferentes conceções dos processos de aprendizagem bem como dos desafios que as instituições educativas enfrentam na atualidade, pretende-se promover o desenvolvimento de uma perspetiva crítica sobre a importância da equidade e da diferenciação no ensino, relacionando as opções didáticas do educador com a eficácia do processo de aprendizagem. Numa segunda fase, apresentam-se e analisam-se os fundamentos de diferentes modelos de ensino tendo em vista comparar e refletir sobre a pertinência da aplicação de um reportório de práticas diferenciadas face a contextos específicos. Na terceira temática interpretam-se os fundamentos que presidem à planificação de atividades e formulam-se objetivos, visando o desenho de propostas de atividades contextualizadas e teoricamente fundamentadas.

Didática
Planificação
Metodologias
Estratégias de ensino e aprendizagem

Pretende-se que no final desta unidade curricular o estudante seja capaz de:

1. Analisar criticamente diferentes perspetivas sobre a educação, o ensino e a aprendizagem relacionando-as com o papel social da educação.

2. Compreender o conceito de equidade em educação relacionando-o com a diversidade e com a diferenciação educativa.

3. Reconhecer que o educador pode despoletar a mudança através das suas opções didáticas.

4. Desenvolver uma perspetiva crítica sobre a diversidade de modelos de ensino utilizando os mais adequados para cada situação de aprendizagem.

5. Construir atividades didáticas, atendendo aos condicionalismos locais, aos objetivos educacionais, e às competências a desenvolver, fundamentando as suas opções do ponto de vista teórico

1. A função social do ensino e a conceção dos processos de aprendizagem.

1.1. Função social do ensino: perspetivas históricas sobre o ensino e a aprendizagem;

1.2. Desafios do ensino para o século XXI;

1.3. A equidade em educação; a sala de aula diversificada; o ensino diferenciado.

2. Modelos de ensino

2.1.  Centrados no professor: fundamentos teóricos e empíricos;

2.2. Centrados no aluno: fundamentos teóricos e empíricos;

3. Planificação de atividades educativas

3.1. Fundamentos da planificação;

3.2. Objetivos de aprendizagem: objetivos gerais e específicos, taxonomias de objetivos;

3.3. Desenho de atividades educativas: fundamentação teórica, adequação, exequibilidade e coerência

Arends, R. (2008). Aprender a Ensinar. McGrawHil.

Carneiro, R. (2007). Descobrir o tesouro. Comunicação & Cultura, 3, 145-156.

Formosinho. J. & Machado, J. (2012). Autonomia da escola, organização pedagógica e equipas educativas. In I. Fialho & J. Verdasca (Orgs.), TurmaMais e Sucesso Escolar: fragmentos de um percurso (p. 45-57). Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora.

Nóvoa, A. (2011). Pedagogia: a terceira margem do rio. Conferência - Que Currículo para o Século XXI (p. 39-49). Assembleia da República, Divisão de Edições.

Nóvoa, A. (2012). Pensar alunos, professores, escolas, políticas. Educação Cultura e Sociedade, 2(2), 7-17.

Pacheco, J. A. (2008). Notas sobre a diversificação/diferenciação curricular em Portugal. InterMeio, 14(28), 178-187.

Vídeos

Rodrigues, D. (2014). Pensar utopicamente a educação. Vídeo TEDxLisboaED

Rodrigues, D. (2014). Inclusão nas escolas: Quanto maior a excelência, maior a equidade. Ciclo de Conferências em Educação, Fundação Francisco Manuel dos Santos, Torre do Tombo, Lisboa, 15 e 16 de Outubro

E-learning

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

Marta.Abelha@uab.pt