Património Arqueológico
Código: 32014
Departamento: DCSG
ECTS: 7.5
Área científica: Estudos do Património
Total de horas trabalho: 195
Total de horas de contacto: 25

•História breve do estudo do património arqueológico português no quadro cultural e filosófico de cada época (do século XVI à actualidade).
•A Arqueologia Urbana e a renovação urbanística dos centros históricos.
•A Arqueologia nos Planos de Ordenamento e de Desenvolvimento regionais.
•A Arqueologia e as grandes Obras Públicas: a atualidade do conhecimento do passado humano.
•Casos de estudo.

Arqueologia
Património

A capacidade de articulação entre as diferentes “arqueologias”, por via do conhecimento aprofundado dos objetivos, fundamentos e características próprias de cada uma delas, constituirá a principal competência desta unidade curricular.

Será abordada, através do estudo de casos, a contribuição dos métodos arqueológicos para o conhecimento do património português, da Pré-História à Baixa Idade Média. Importa, neste âmbito, enunciar os critérios que presidiram, ao longo do tempo, à investigação do património arqueológico, bem como à sua proteção, valorização e divulgação, recorrendo, para ilustrar situações práticas, de exemplos concretos de atuação. A arqueologia das cidades e dos centros históricos (dita Arqueologia Urbana) é outra área temática a abordar, de evidente atualidade e importância no quadro de requalificação da vida citadina, na qual muitos municípios estão interessados. A importância do património arqueológico nos planos de ordenamento e desenvolvimento regionais, é outro vetor que será abordado, sem esquecer, em tempos mais recentes, a realização de estudos de impactes ambientais, à escala local ou regional, com destaque para mega-empreendimentos recentes (construção de grandes barragens, como Foz Côa e Alqueva e de auto-estradas ou outras vias de comunicação transregionais). Serão apresentados detalhadamente alguns caso-de-estudo paradigmáticos e, por essa via, demonstrada a importância tanto no plano económico, como no social ou no cultural, do património arqueológico, como elemento de progresso e de identidade, numa sociedade que se pretende cada vez mais informada e exigente.

Cardoso, J. L. (2007) – Pré-História de Portugal. Lisboa: Universidade Aberta.
Alarcão, J. & Barroca, M. (edts., 2012) – Dicionário de Arqueologia Portuguesa. Porto: Figueirinhas.
Documentação especializada fornecida pelo docente (artigos científicos, actas de encontros temáticos, etc.).

Blended learning

A avaliação tem caráter individual e implica a coexistência de duas modalidades: avaliação contínua (60%) e avaliação final (40%). Essa avaliação será desenvolvida na aplicação de formas diversificadas, definidas no Contrato de Aprendizagem da unidade curricular.

Os estudantes têm de possuir um computador com ligação à Internet e endereço de correio eletrónico. Esta unidade curricular é lecionada em língua portuguesa.