Organizações Políticas
Código: 41043
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: CIências Políticas
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

A unidade curricular Organizações Políticas procura proporcionar ao estudante um conjunto de reflexões sobre o tema central da representação política, eleições e sistemas eleitorais.

Partidos Políticos
Estado
Sistemas de Governação
Sociedade Civil - Participação

Espera-se que os estudantes compreendam a natureza da representação política nas suas múltiplas perspectivas e abordagens, incluindo estruturas de representação como os parlamentos e partidos no âmbito de uma democracia representativa e da eleição política, o exercício do voto e seus condicionalismos, os sistemas eleitorais e a democracia representativa nos seus elementos característicos e propriedades básicas. De forma progressiva e cumulativa pretende-se que os estudantes adquiram competências de análise, no contexto actual, da dinâmica dos processos de representação política na sua relação com os sistemas eleitorais e a democracia representativa.

1 - Natureza da representação política
2 - Governo representativo, democracia representativa e estruturas de representação política
3 - Democracia representativa e eleição política
4 - Exercício do sufrágio e seus condicionalismos
5 - Sistemas eleitorais e democracia representativa: elementos e propriedades básicas
6 - Sistemas eleitorais: tipologia, características e efeitos

 

Bibliografia Obrigatória:

MEIRINHO, Manuel (2008) Representação Política. Eleições e Sistemas Eleitorais, Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas

Bibliografia Complementar:

HEYWOOD, Andrew (2002), Politics, Hampshire/New York: Palgrave Macmillan.
LOPES, Fernando Farelo (2004), Os Partidos Políticos: Modelos e Realidades na Europa Ocidental e em Portugal, Lisboa: Celta Editora.
LOPES, Fernando Farelo & FREIRE, André (2002), Partidos Políticos e Sistemas Eleitorais: Uma introdução, Lisboa: Celta Editora.
MARTINS, Manuel A. Meirinho (1997), “Moisei Ostrogorski: a Sobrevivência dos Partidos Políticos”, in Elites e Poder – Estudos, Lisboa: ISCSP.
RACHMAN, Giddeon (2011), Zero-Sum World. Politics, Power and Prosperity after the Crash, London: Atlantic Books.

STOCK, Maria José (coord.); TEIXEIRA, Conceição Pequito; REVEZ, António Manuel (2005), Velhos e Novos Actores Políticos. Partidos e Movimentos Sociais, Lisboa: Universidade Aberta. (essencialmente a 1ª parte – referente aos Partidos Políticos)

 

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.