Literatura e Cultura Norte- Americanas
Código: 51164
Departamento: DH
ECTS: 6
Área científica: Sem Área Cientifica
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

A unidade curricular visa:
. analisar a forma como a cultura e a literatura participam da construção da identidade americana;
. reflectir sobre a importância do discurso puritano para a definição de uma retórica e de um imaginário míticos;
. compreender a forma como os “Pais Fundadores” assimilaram e reviram o discurso puritano;
. analisar a importância do contributo do Transcendentalismo para a consolidação dessa identidade;
. problematizar a permanência de um discurso épico e mítico no Modernismo.


As competências a desenvolver são as seguintes:
. domínio das ferramentas conceptuais e metodológicas necessárias à produção do conhecimento no âmbito dos estudos literários e dos estudos de cultura;
. capacidade de formular problemas e de usar todos os recursos conceptuais inerentes aos espaços do saber em causa;
. capacidade de construir uma visão racional e crítica do objecto;
. capacidade de reflectir sobre a dimensão especulativa do objecto de análise;
. capacidade de problematizar a dimensão epistemológica relevante a nível do estado da arte do tema escolhido;

1.Antecedentes coloniais
1.1. A narrativa puritana e a analogia bíblica– Of Plymouth Plantation, de William Bradford;
1.2.A poesia puritana e a dimensão confessional – Anne Bradstreet e Edward Taylor;
1.3.Construindo uma cultura do eu – A Autobiografia de Benjamin Franklin;
1.4.A retórica mítica iluminista – A Declaração de Independência e as cartas de Thomas Jefferson e John Adams.
 
2.O Transcendentalismo
2.1.A inovação filosófica de Emerson – “The American Scholar”, “Nature” e “The Poet”;
2.2.A relação com a Natureza – Walden, de H. D. Thoreau;
2.3.A tensão com o Outro – Edgar Allan Poe;
2.4.A emergência de um discurso épico – Leaves of Grass, de Walt Whitman;
2.5.A tensão entre a epopeia e a tragédia – Moby-Dick, de Herman Melville;

3. Modernismo
3.1.A persistência da epopeia – Hart Crane e Wallace Stevens;
3.2.A renovada tensão entre a epopeia e a tragédia – The Great Gatsby, de F. S. Fitzgerald;
3.3.A relação com a alteridade – Invisible Man, de Ralph Ellison

Avelar, Mário. História(s) da Literatura Americana – prefácio de George Monteiro (Lisboa: Universidade Aberta, 2005)
O Nascimento de uma nação – Nas origens da literatura americana (Chamusca: Cosmos, 2008)
Miller Jr., James E.. The American Quest for a Supreme Fiction (Chicago: The Chicago University Press, 1976)
Pearce, Roy Harvey. The Continuity of American Poetry (Princeton: Princeton University Press, 1961[1997])
Ramalho, Maria Irene. Literatura Norte-Americana (Lisboa: Universidade Aberta, 1998)

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação, a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.