Intervenção Social com Crianças e Jovens
Código: 41111
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: SociologiaSociology 
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

A unidade curricular Intervenção Social com Crianças e Jovens pretende enquadrar as/os estudantes nas problemáticas da infância e da juventude nas sociedades contemporâneas e fornecer os fundamentos da intervenção social com estes públicos. Procura-se, assim, desenvolver competências de análise de políticas sociais e de intervenção em contextos diversificados

Problemas sociais, crianças, jovens, intervenção social, Políticas sociais

Pretende-se que, no final desta Unidade Curricular, a/o estudante tenha adquirido as seguintes competências:

• Identificar e problematizar a infância e a juventude como construções sociais;

• Analisar trajetórias de vida e problemas sociais nas sociedades contemporâneas na sua relação com situações de vulnerabilidade de crianças e jovens;

• Caracterizar e analisar políticas sociais no contexto nacional e europeu;

• Conhecer e discutir teorias e metodologias de intervenção social;

• Perspetivar e analisar políticas e respostas sociais destinadas a crianças e jovens;

• Refletir sobre questões éticas no contexto da intervenção social com crianças e jovens

 

Nesta unidade curricular serão trabalhadas as seguintes temáticas:

• Perspetivas teórico-concetuais da infância e da juventude

• Problemáticas atuais: ser criança e ser jovem na contemporaneidade

• Políticas sociais para a infância e a juventude

• Teorias e modelos de intervenção social com crianças e jovens

• Intervenção social com crianças e jovens: estudo e análise de casos

 

Carvalho, Maria João Leote de (2013). Sistema nacional de acolhimento de crianças e jovens. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 

Fernandes, Natália; Almeida, Ana Tomás de (2011). Intervenção com crianças, jovens e famílias. Coimbra: Edições Almedina.

Núncio, Maria José (2013). Políticas de família e intervenção social com famílias. Lisboa: ISCSP.

Pais, José Machado (1990). A construção sociológica da juventude – alguns contributos. Análise Social, vol. XXV (105-106), (1º, 2°): 139-165.

Sarmento, Manuel Jacinto (2005). Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educação Social, vol. 26 (n. 91) (Maio/Ago), 361-378.

UNICEF (2013) As crianças e a crise em Portugal. Vozes de crianças, políticas públicas e indicadores sociais, Lisboa. UNICEF. 

 

Bibliografia complementar será disponibilizada na sala de aula virtual da unidade curricular na plataforma moodle.

 

E-Learning. (completamente online).

 Outra situação: ________________________________

 

O regime de avaliação da UAb possibilita ao estudante a opção, em devido tempo, por uma das duas formas de avaliação:

• Avaliação contínua, constituída pela realização de dois e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final.

• Avaliação final, constituída por um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.