História Económica e Social
Código: 41071
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: História
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Esta unidade curricular aborda a evolução económica e social do mundo contemporâneo nos séculos XIX e XX, tendo em consideração as grandes etapas de desenvolvimento da economia capitalista moderna, com especial enfoque nos contextos europeu e norte-americano. Para além disso, a unidade curricular coloca em perspetiva o caso representado por Portugal, considerando a sua evolução económica e social e respetivas interações com a super-estrutura política, desde a implantação do liberalismo, na primeira metade do século XIX, até à entrada em circulação da moeda única europeia (Euro) em 2002.

Mundo Contemporâneo
Portugal Contemporâneo
Desenvolvimento económico-social
Capitalismo moderno e Industrialização

Pretende-se que, no final desta unidade curricular, o estudante tenha adquirido as seguintes competências:
- capacidade de dominar vários conceitos utilizados na história económica e social;
- capacidade de problematizar as principais questões em torno da evolução socioeconómica do mundo contemporâneo e, em particular, de reconhecer as linhas estruturais do desenvolvimento capitalista das principais formações sociais da Europa Ocidental e da América do Norte nos séculos XIX e XX;
- capacidade de problematizar as principais questões em torno da evolução económica e social da sociedade portuguesa contemporânea e, em particular, de reconhecer as principais dinâmicas socioeconómicas e as respetivas interações no plano político no Portugal Contemporâneo dos séculos XIX e XX;
- capacidade de produzir uma análise crítica e fundamentada sobre os elementos chave do processo histórico, na perspetiva económica e social.
 

TEMA 1 – A Evolução Económica-Social do Mundo Contemporâneo. Uma Visão de Conjunto
Subtema 1.1. – Os diferentes ritmos da industrialização europeia e norte-americana e a emergência da economia capitalista moderna no século XIX
Subtema 1.2. – O crescimento da economia mundial, 1848-1914
Subtema 1.3. – A desintegração económica internacional, 1914-1945
Subtema 1.4. – A reconstrução da economia mundial, 1945-1989

TEMA 2 – O Caso Português. Da Instalação do Liberalismo ao Euro, 1820-2002
Subtema 2.1. – A instalação do liberalismo e a primeira época de crescimento económico durante a Regeneração, 1820-1890
Subtema 2.2. – Crise e estagnação económica e social, 1890-1914
Subtema 2.3. – A época das guerras e das crises, 1914-1947
Subtema 2.4. – A segunda época de crescimento económico, 1947-1973
Subtema 2.5. – Do 25 de Abril à entrada em circulação do Euro, 1974-2002

Bibliografia Base da UC:
NEAL, Larry; CAMERON, Rondo - História Económica do Mundo. Do Paleolítico ao Presente. Forte da Casa: Escolar Editora, 2019, pp. 351-411 e pp. 513-556.
MATA, Eugénia; VALÉRIO, Nuno - História Económica de Portugal. Uma perspectiva global. Lisboa: Editorial Presença, 2003, pp. 136-238.
PIMENTA, Fernando Tavares - Textos de Apoio e de Contextualização Histórica da Unidade Curricular História Económica e Social. Ano Académico 2021/2022 (disponibilizados pelo docente no ambiente da sala de aula virtual).

Bibliografia Complementar (com vista a um aprofundamento das temáticas por parte dos estudantes):
BEAUD, Michel - História do Capitalismo. Lisboa: Teorema, 1992.
GALBRAITH, John Kenneth - A crise económica de 1929. Anatomia de uma catástrofe financeira. Lisboa: Dom Quixote, 1982.
GILBERT, Martin - História do Século XX. 4ª ed.. Lisboa: Q. Quixote, 2017.
HOBSBAWM, Eric - A Era do Império, 1875-1914. Lisboa: Editorial Presença, 1990.
HOBSBAWM, Eric - A Era dos Extremos. História Breve do Século XX (1914-1991). Lisboa: Editorial Presença, 1996.
HOBSBAWM, Eric - A Era das Revoluções, 1789-1848. 4ª ed.. Lisboa: Editorial Presença, 2001.
MARQUES, A.H. de Oliveira (Coord.) - Nova História de Portugal. Volume XI Portugal. Da Monarquia para a República. Lisboa: Editorial Presença, 1991.
PIKETTY, Thomas - O Capital no Século XXI. Lisboa: Temas e Debates, 2014.
PIMENTA, Fernando Tavares - Portugal e o Século XX. Estado-Império e Descolonização, 1890-1975. Porto: Edições Afrontamento, 2010.
PIMENTA, Fernando Tavares - Storia Politica del Portogallo Contemporaneo (1800-2000). Firenze: Le Monnier/Mondadori Education, 2011.
PINTO, António Costa; MONTEIRO, Nuno Gonçalo (Coord.) - História Social Contemporânea. Portugal: 1808-2000. Lisboa: Edições MAPFRE, 2020.
RAMOS, Rui (Coord.) - História de Portugal. 11.ª ed. Lisboa: D. Quixote, 2021.
REMOND, René - Introdução à História do Nosso Tempo. Do Antigo Regime aos Nossos Dias. 2ª ed. Lisboa: Gradiva, 2003.
RIOUX, J. P. - A Revolução Industrial. 5ª ed. Lisboa: D. Quixote, 1996.
ROSAS, Fernando - O Estado Novo nos Anos Trinta. Elementos para o estudo da natureza económica e social do salazarismo (1928-1938). Lisboa: Estampa, 1986.
ROSAS, Fernando - Portugal entre a Paz e a Guerra. Estudo do impacte da Segunda Guerra Mundial na economia e na sociedade portuguesas (1939-1945). Lisboa: Estampa, 1990.
ROSAS, Fernando - Salazarismo e fomento económico. Lisboa: Editorial Notícias, 2000.
SANTOS, Lourival Santana; ARAÚJO, Ruy Belém de - História Econômica Geral e do Brasil. São Cristóvão: Universidade Federal de Sergipe/CESAD, 2011.
SERRÃO, Joaquim Veríssimo - História de Portugal. Volumes VII, VIII, IX, X e XI. Lisboa: Editorial Verbo, 1986-2003.
TORRES, José Veiga Torres - Introdução à História Económica e Social da Europa. 5ª Reimp.. Coimbra: Almedina, 2003.
VALÉRIO, Nuno; NUNES, Ana Bela - História da Economia Mundial Contemporânea. 2ª ed. .Lisboa: Editorial Presença, 2004.


 

E-learning

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

Os estudantes têm de ter acesso a um computador com ligação à Internet, ter um endereço de correio electrónico e, desejavelmente, possuir literacia informática na perspectiva do utilizador.