História da Música Portuguesa
Código: 31045
Departamento: DH
ECTS: 6
Área científica: História da Arte
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Os conteúdos programáticos desta unidade curricular centram-se nos principais temas da história da música em Portugal nas diferentes épocas, entre a Idade Média e a Época Contemporânea. O estudo do caso português será analisado em confronto sistemático com a realidade internacional, quer na Europa, quer nos contextos além Atlântico.

História
Música

•Reconhecer a importância das principais figuras da história da música portuguesa nos variados contextos histórico-culturais;
•Identificar compositores, obras e correntes musicais dominantes;
•Conhecer os principais termos musicais empregues ao longo do tempo nas várias épocas;

 

1–O final da Idade Média
2–A Renascença
3–O século XVII/XVIII – o Barroco
4–O século XIX - Romantismo
5–Expressões musiciais contemporâneas (séc. XX)

BRITO, Manuel Carlos de, CYMBRON, Luísa (1992) História da Música Portuguesa, Lisboa, Universidade Aberta. (Manual adotado e disponibilizado online).

Bibliografia Complementar:
BRANCO, João de Freitas (1959) História da Música Portuguesa, Lisboa, Publicações Europa-América.
CASTELO-BRANCO, Salwa, Enciclopédia da Música Portuguesa do Século XX, 4 vols. Lisboa, Círculo de Leitores, 2010.
NERY, Rui Vieira & CASTRO, Paulo Ferreira de (1991) História da Música (Sínteses da Cultura Portuguesa), Lisboa, Comissariado para a Europália 91 – Portugal/Imprensa Nacional-Casa da Moeda.

E-learning

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

Os estudantes têm de ter acesso a um computador com ligação à Internet, ter um endereço de correio eletrónico e, desejavelmente, possuir literacia informática na perspetiva do utilizador.