Código: 21036
Departamento: DCET
ECTS: 6
Área científica: Matemática
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 26

Nesta unidade curricular abordam-se os conceitos fundamentais sobre o processo de amostragem e recolha de dados, a elaboração de questionários e o método estatístico para resolução de problemas. São estudadas algumas das técnicas estatísticas mais utilizadas em estudos nas áreas do Ambiente e Saúde, nas quais se incluem métodos paramétricos e não paramétricos.

Dados em ambiente e saúde
Testes estatísticos
Associação e correlação
Epidemiologia

• Reconhecer as variáveis importantes num problema, caracterizar o tipo de estudo e os conceitos básicos da amostragem estatística;
• Caracterizar as perguntas e escalas de de resposta de um questionário e relacionar com variáveis estatísticas;
• formular hipóteses, escolher os testes estatísticos adequados, paramétricos ou não paramétricos, e interpretar resultados no contexto.
• Realizar aplicações dos métodos estudados em dados na área dos estudos das biociências e ambientais utilizando sempre que possível o apoio de um aplicativo/software.

• Tipos de estudo, planeamento e obtenção das amostras. Obtenção de dados usando o inquérito por questionário.
• O processo de Inferência Estatística: Estimação de parâmetros. Intervalos de Confiança com aplicação às Biociências.
• Testes de Associação entre variáveis qualitativas. Teste exato de Fisher, teste do qui-quadrado, teste de McNemar.
• Testes paramétricos e não paramétricos para comparação de duas ou mais amostras: Testes t e z para duas amostras; teste de Mann-Whitney e teste de Wilcoxon; ANOVA caso independente e medições repetidas; teste de Kruskal-Wallis e teste de Friedman; Teste de Tendência L-Page; Teste tendência de Jonckheere.
• Testes de diagnóstico e medidas em ensaios clínicos. Razão das Chances (Odds Ratio).
• Teste de significância aos coeficientes de correlação. Relação com a regressão linear.
• Aplicações a problemas das ciências da saúde e do ambiente.
• Tópicos de utilização de software (Excel ou outro) no apoio à resolução.

Recomendada:
Não existe bibliografia obrigatória, os materiais essenciais serão disponibilizados online.
Complementar:
Biostatistics: A Foundation for Analysis in the Health Sciences. W.W. Daniel, 9th Edition, Wiley. 2008, 2009.
Métodos de Investigação para Terapeutas Clínicos, Carolyn M. Hicks., Lusociência.
Bioestatística, Epidemiologia e Investigação - Teoria e Aplicações, A. Gouveia de Oliveira, Edições LIDEL (http://www.fca.pt/lidel_index2.html)
D. Pestana, S. Velosa Introdução à Probabilidade e à Estatística, Vol I, Fundação Calouste Gulbenkian. 2002
Estatística Aplicada às Ciências e Tecnologias da Saúde. Gilda Cunha, M. Rosário Martins, Ricardo Sousa, Filipa F. Oliveira , Ed. Lidel. 2007

E-learning

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

São requisitos conhecimentos de uma unidade introdutória de Estatística. Recomenda-se que o estudante frequente previamente a unidade curricular Introdução à Análise Exploratória de Dados (se for estudante da LCA) ou a UC Elementos de Probabilidades e Estatística (se for estudante da LMeA)