Dinâmicas Sociais e Culturais na Era Digital
Código: 42019
Departamento: DCSG
ECTS: 7
Área científica: Antropologia
Total de horas trabalho: 195
Total de horas de contacto: 32

Partimos de três questões ou eixos de reflexão e análise: tecnologias contemporâneas como artefactos e actividades culturais (observação e análise da construção e apropriação dos artefactos e discursos e como adquirem significado na vida quotidiana); como criadoras e modificadora de cultura (formas diferenciadas de viver e pensar o espaço e tempo, simulacro e ideologia); como agentes produtores e reprodutores dos diversos aspectos da vida social (formas de integração de conhecimentos e de exclusões sociais e modalidades de poder e distribuição de poder, construção de alteridades e identidades, formas de sociabilidade, etc.). Propomos aprofundar o debate em torno das mudanças tecnológicas mas sobretudo das mudanças socioculturais resultantes através da investigação empírica que procure dar respostas a questões fundamentais como as seguintes: que tipo de sociedades são geradas pelas novas tecnologias? Que tipo de grupos sociais se formam à sua volta? Como é que a adopção massiva das novas tecnologias reconfiguram ou afectam a identidades sociais, a percepção que as culturas, classes e grupos tem de si mesmo e dos outro, das suas interacções, da natureza humana, da vida, da cultura, das utopias? Como mudam as formas de relação (interacção), comunicação, aprendizagem e transmissão de saberes, pensamento, actuação, entretenimento, trabalho, participação política?

• Aquisição de fundamentos conceptuais necessários para a compreensão das problemáticas geradas pelas transformações tecnológicas contemporâneas e as suas implicações nos indivíduos, nas sociedades e culturas locais.
• Desenvolver competências interpretavas decorrentes da necessidade de repensar a adequação (adaptação ao terreno) das metodologias de investigação antropológica a novos terrenos, novos contextos, novas práticas sociais e culturais (cultura e artefactos digitais, comunidades virtuais, redes de sociabilidade e comunidades de prática mediadas pelas tecnologias digitais) como é que esta prática configura um caso particular de uma etnografia móvel e multissituada.
• Por em prática competências complexas, baseadas nas anteriores na resolução de problemas: estudo de casos ou concepção e desenvolvimento de projectos.

1. Metodologia, objecto e âmbito da disciplina (novos campos da antropologia).
2. Cultura e tecnologia (teoria e tecnologias da cultura) – mudança nas sociedades modernas.
3. Sociabilidades em rede – interacções e redes sociais (comunidades de prática).
4. Computadores e as margens sociais e culturais - Computadores e contracultura: hackers e jogadores do pc à Internet.
5. Espaço público tecnologicamente mediado: transmissão da cultura e dos saberes, consciência colectiva e comunidades de aprendizagem.
6. Tecnologias digitais e Inclusão socio-digital. Dádiva na era Digital. Cibervoluntariado.
7. Estudos de caso.

SLEVIN, James (2002) Internet e sociedade, Lisboa: Temas e Debates.
HINE, Christine, (2000) Virtual Ethnography, London: Sage publications.
RIBEIRO, José S. & BAIRON, Sérgio (2007) Antropologia Visual e Hipermedia, Edições Afrontamento.
MILLER, Daniel, SLATER, Don (2000) The Internet: An Ethnographic Approach, New York: Berg.
WARSCHAUER, Mark (2003) Technology and Social Inclusion: Rethinking the Digital Divide, Cambridge, MA: MIT Press.

Regime de blended learning: componente presencial de 6h, sendo o restante curso ministrado online, com recurso a uma plataforma de e-learning.

A avaliação tem caráter individual e implica a coexistência de duas modalidades: avaliação contínua (60%) e avaliação final (40%). Essa avaliação será desenvolvida na aplicação de formas diversificadas, definidas no Contrato de Aprendizagem da unidade curricular.