Design da Aprendizagem e Recursos Online
Código: 11072
Departamento: DEED
ECTS: 6
Área científica: Ciências da Educação
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Constituindo uma UC opcional do Minor, nesta U.C. prevê-se a apropriação de ferramentas conceptuais e modelos que permitam fundamentar o desenho da aprendizagem  e de recursos online.
Adotando uma metodologia de imersão em cenários – estúdio de learning design (*) - os estudantes experimentam e exploram as ferramentas e plataformas numa perspetiva de imersão na problemática do design  da aprendizagem e da conceção e design de recursos no mundo atual.    Assim, a abordagem da UC envolve, para além do domínio cognitivo das ferramentas conceptuais, que o estudante se aproprie através da realização de atividades e desafios (challenges) com níveis cognitivos diferenciados, nomeadamente, a exploração e experimentação, aplicação de princípios e modelos, análise de casos e avaliação de produtos, a situações, projetos e ações.
Assim, para além dos momentos de apropriação dos conteúdos e conceitos (através da leitura, visionamento de vídeos, análise de casos e simulações, exploração, discussão, textos, ferramentas digitais Web 2.0), o estudante individualmente ou em equipas realiza as atividades formativas da temática envolvendo a produção de artefactos digitais e o uso de ferramentas digitais – reflexão, análise e investigação, aplicação, síntese e avaliação. A participação exprime-se através da colaboração e discussão bem como da hetero-avaliação dos artefatos digitais (pecha-kuchas), pontuação por badges e auto-avaliação evidenciada no portfólio de cada estudante através dum conjunto de indicadores.

No final do percurso de aprendizagem, o estudante deverá ser capaz de:
Competências básicas e transversais:
  1. Comunicar informações, ideias, problemas e soluções a públicos diversificados em contextos educativos online
  2. Agregar, analisar e interpretar informações sobre questões educativas e sociais;
  3. Dominar linguagens especializadas no domínio da Educação;
  4. Demonstrar competências digitais;
Competências específicas:
  1. Identificar necessidades para fundamentar ações educativas e formativas;
  2. Desenvolver e implementar programas e projetos educativos e formativos em ambientes virtuais, mistos e classe invertida;
  3. Observar e analisar contextos, cenários e atividades com dimensões educativas e formativas;
  4. Desenvolver estratégias e técnicas para promover a participação e a aprendizagem ao longo da vida;
  5. Participar e colaborar com outros profissionais na conceção, desenvolvimento e aplicação de recursos digitais na educação
  6. Desenhar recursos educativos

  1. Fundamentos do Design da Aprendizagem mediada pelas Tecnologias
    1. Evolução: do design instrucional ao modelo de design da aprendizagem
    2. Modelos teóricos
    3. Design de Cursos e Recursos: dos LMS às Redes Sociais e PLE 
  2. Estúdio de Design da Aprendizagem e Recursos
    1. Metodologias:  Introdução à Metodologia Design based-research
    2. Ambientes e Ferramentas Sociais, Abertas e Participatórias: Plataformas, Recursos, Artefactos e Affordances
    3. Design de Cursos, Comunidades, Redes, PLEs, OERS e MOOCs:  aprendizagem formal e informal
    4. Design de Atividades de Aprendizagem:  A ferramenta E-Puzzle
    5. Padrões e Personas
  3. Design de Recursos Online
    1. O conceito de Recursos Educacionais Abertos
    2. Licenças Creative Commons
    3. O Digital Storytelling
    4. Storyboard
    5. Design de Recursos Audio, Vídeo, Games, OERs

Bacelar,F.,  Morgado, L., Rocio, V. (2006). Gamificação duma Rede Social Académica, 176-182, 3º EJML, Coimbra
Dobozy, E.  (2013). Learning design research: advancing pedagogies in the digital age, Educational Media International, 50:1, 63-76.
Conole, G. & Wills, S. (2013) Representing learning designs – making design explicit and shareable, Educational Media International, 50:1, 24-38.
Messias, I., Morgado, L. (2015). Facebook + LMS: cenários para o envolvimento do estudante na aprendizagem a distância, Porto, C. Santos, E., Chagas, A. (Orgs). Facebook na Educação: postar, gostar e partilhar, 381-404, Campina Grande: Editora EDUEPB.
Morgado, L., Ramalheiro, M. (2017). Integração duma Rede Social em Educação Aberta e a Distância: impacto do Microblog num MOOC, Torres, P. L. (2017). Redes e Mídias Sociais, Editora Appris; Brasil
Morgado, L. Figueiredo, J. (2016). O que é o Digital Storytelling?, OpenProf OER1: Erasmus+
Open Professional Collaboration for Innovation
Morgado, L. Figueiredo, J. (2016). Elementos das Narrativas Digitais, OpenProf OER2: Erasmus+
Open Professional Collaboration for Innovation
Morgado, L. Figueiredo, J. (2016). “Bom” e “Mau” Design, OpenProf OER3: Erasmus+
Open Professional Collaboration for Innovation
Morgado, L. Figueiredo, J. (2016). Ferramentas Digitais para Digital Storytelling?, OpenProf OER4: Erasmus+
Open Professional Collaboration for Innovation.
Morgado, L. Figueiredo, J. (2016). Dicas para escrever um Script?, OpenProf OERAdaptado: Erasmus+
Open Professional Collaboration for Innovation
Nascimento, L., Morgado, L. (2007). Pecha-Kucha no Modelo Pedagógico Virtual da UAb: contributo da pesquisa em Pedagogia do eLearning, Ribeiro, M., Santos, E. (2017). Docência  e Formação: perspetivas plurais na pesquisa em educação,  5-20, UERN: Brasil. 
Morgado, L. & Teixeira, A. (2016). OER and Sustainability Models, International Open Online Course, Open Professional Collaboration for Innovation, Erasmus + LT01-KA202-000562.
NMC Horizon Report (2017). Higher Education Edition.
Oliveira, N. R., & Morgado, L. (2014). Digital Identity of researchers and their Personal Learning Network. In P. Zaphiris & A. Ioannou (Eds.), Learning and Collaboration Technologies. Technology-Rich Environments for Learning and Collaboration (pp. 467–477). Switzerland: Springer. http://doi.org/10.1007/978-3-319-07485-6
Report of Instructional Design in Higher  Education (2016). A report on the role, workflow, and experience of instructional designers, Intentional Futures (tradução em português)
The Design-Based Research Collective. (2003). Design-based research: An emerging paradigm for educational inquiry. Educational Researcher, 32, 1, pp. 5-8.
 

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.