Desenvolvimento Comunitário
Código: 41019
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: Política Social
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

A unidade curricular tem como objetivo proporcionar aos/às estudantes um conjunto de conhecimentos de caráter teórico-prático sobre o Desenvolvimento Comunitário. Apresentam-se os conceitos e diferentes quadros teóricos que podem ser aplicados ao processo de Desenvolvimento Comunitário (nomeadamente os contributos da Antropologia Aplicada, da Sociologia de Intervenção e da Abordagem Sistémica). Analisam-se, a partir de casos concretos, as principais variáveis e agentes intervenientes no trabalho comunitário. Pretende-se, deste modo, proporcionar uma aprendizagem que articula a análise conceptual e teórica com as práticas de intervenção, de modo a que o/a estudante adquira competências para aplicar a metodologia do Desenvolvimento Comunitário em situações diversas.
 

Desenvolvimento comunitário
Intervenção social
Metodologia de intervenção
Campos de intervenção

1. Reconhecer a aplicabilidade prática do trabalho comunitário;
2.Analisar a estrutura concetual do desenvolvimento comunitário;
3. Identificar a contribuição da antropologia aplicada, da sociologia de intervenção e da abordagem sistémica para o desenvolvimento comunitário;
4. Aplicar a metodologia do desenvolvimento comunitário nas suas diversas fases;
5. Identificar campos emergentes de prática do desenvolvimento comunitário.
 

1.    O processo de intervenção social em comunidades
2.    As alterações do ambiente de intervenção social
3.    O desenvolvimento comunitário: enquadramento geral
4.    Sustentabilidade e desenvolvimento comunitário
5.    Antropologia aplicada e desenvolvimento comunitário
6.    Sociologia de intervenção e desenvolvimento comunitário
7.    Metodologia da intervenção comunitária
8.    Campos específicos do desenvolvimento comunitário

Carmo, Hermano (coord.); Esgaio, Ana; Pinto, Carla; Pinto, Paula Campos. 2014. Desenvolvimento Comunitário. Lisboa: Universidade Aberta.  [ebook]
Burbano, Arizaldo Carvajal. 2009. Apuntes sobre desarrollo comunitário. Universidad de Málaga-España: Eumed.net
Pinto, Carla. 2012. Representações e práticas do Empowerment nos trabalhadores sociais. [tese de doutoramento]. Lisboa: ISCSP.UTL. Disponível: https://www.repository.utl.pt/handle/10400.5/4230
Robinson, Jerry; Green, Gary. 2011. Introduction to Community Development. Theory, Practice, and Service-Learning. Sage Publications. [capítulos 1 e 16]
Sousa, Lúcio. 2014. “Antropologia aplicada: desenvolvimento, modelos de trabalho e desafios éticos”. In Revista VERITAS, Díli: Programa de Pós-Graduação e Pesquisa da UNTL. Vol. 2, nº 4.. pp. 81-97
- na sala de aula virtual serão indicados outros recursos.

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.