Cristãos – novos no Espaço Peninsular
Código: 31013
Departamento: DCSG
ECTS: 6
Área científica: História
Total de horas trabalho: 156
Total de horas de contacto: 15

Os judeus desempenharam um importante papel económico, social e cultural na história dos reinos peninsulares e estabeleceram com a sociedade, em geral, e o poder real em particular, uma relação com características específicas, marcada pelos constantes apelos à conversão da população judaica à religião cristã. Muitos judeus acabaram por ceder a esta pressão ou foram forçados a receber o baptismo, passando a fazer parte integrante da sociedade moderna, sob a designação de cristãos novos, perpetuando e ampliando o relevante papel que os seus antepassados tinham desempenhado nos reinos peninsulares. O processo de conversão dos judeus revelou-se, desde cedo, pouco consistente e constitui um factor de destabilização das monarquias peninsulares, levando o poder real a solicitar a Roma o estabelecimento da Inquisição nos seus reinos, com vista a extirpar os “comportamentos heréticos” dos cristãos novos, o que teve importantes repercussões na vida da população cristã nova.

Criptojudaísmo
Inquisição
Judeus/Cristãos Novos
Proselitismo

• Capacidade de avaliar o papel desempenhado pelos judeus/cristãos novos no espaço peninsular, em particular durante o período medievo e moderno;
• Capacidade de avaliar o grau de sucesso alcançado pela política proselitista dos monarcas peninsulares, bem como as consequências dessa mesma política;
• Capacidade de avaliar as transformações ocorridas no seio das comunidades cristão novas, nos reinos peninsulares modernas, após o estabelecimento da Inquisição;
• Capacidade de dominar conceitos e terminologia específicos necessários à compreensão da temática/conteúdos da unidade curricular;
• Capacidade de estabelecer relações entre os conteúdos abordados na unidade curricular.

1. A presença judaica no espaço peninsular
2. A política proselitista das monarquias peninsulares
3. A Inquisição nos reinos da Península Ibérica
4. Os cristãos novos na sociedade moderna

AFONSO, Luís Urbano - Iconografia Judaica em Portugal (séculos XIV‐XV). Cadernos  de  Estudos Sefarditas. Lisboa: FL-UL n.º  6 (2006) p. 101‐131. Disponível na Internet: www.catedra-alberto-benveniste.org/_fich/15/artigo_Luis_Afonso.pdf
AZEVEDO, J. Lúcio de - História dos cristãos‐novos portugueses. 3ª ed. Lisboa: Liv. Clássica  Editora, 1989. 
CONTRERAS, Jaime - Historia de la Inquisición Española (1478-1834). Madrid: Arco Libros, S.L., 1997.
FERREIRA, Joaquim de Assunção - Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2006.
HUERGA CRIADO, Pilar - En la raya de Portugal: solidaridad y tensiones en la comunidad judeoconversa. Salamanca: Ed. Universidad de Salamanca, 1994.
LÓPEZ BELINCHÓN, Bernardo - Honra, libertad y hacienda (Hombres de negocios y judíos sefardíes). Alcalá: Instituto Internacional de Estudios Sefardíes y Andalusíes/Universidad de Alcalá, [s/d.].
LÓPEZ-SALAZAR CODES, Ana Isabel - Inquisición y Política. El gobierno del Santo Ofício en el Portugal de los Austrias (1578-1653). Lisboa: UCP/CEHR, 2011.
MARCOCCI, Giuseppe; PAIVA, José Pedro - História da Inquisição Portuguesa (1536-1821). Lisboa: A Esfera do Livros, 2013.
MUCZNIK, Lúcia Liba; TAVIM, José Alberto Rodrigues da Silva; MUCZNIK, Esther e MEA, Elvira de Azevedo coord. – Dicionário do judaísmo português. Lisboa: Editorial Presença, 2009.
PÉREZ, Joseph - Los Judíos en Espanã. Madrid: Marcial Pons, 2005.
POLÓNIA, Amélia -D. Henrique. O Cardeal‐Rei. Lisboa: Círculo de Leitores, 2005, p. 107‐133. 
REMÉDIOS, J. Mendes dos - Os Judeus em Portugal. Coimbra, 1895. vol I (reimp. Lisboa, Liv. Alcalá, 2004).
SUAREZ FERNANDEZ Luis - Judios españoles en la Edad Media. 2ª ed. Madrid: Ediciones Rialps, 1988.
TAVARES, Maria José Ferro - O difícil diálogo entre judaísmo e cristianismo. In AZEVEDO, Carlos Moreira dir - História religiosa de Portugal. Lisboa: Círculo de Leitores, 2000, vol. I, p. 53-89.
TAVARES, Maria José Ferro - Os Judeus em Portugal no século XIV. 2ª ed. Lisboa: Guimarães Editores, 2000.
TAVARES,  Mª  José  Pimenta  Ferro - Judaísmo  e  Inquisição: Estudos. Lisboa: Editorial  Presença, 1987. 
TAVARES, Maria José Ferro - Revoltas contra os judeus no Portugal medieval. Revista de História das Ideias. Coimbra: IUC, vol. 5 (1984) p. 161-173. Disponível na Internet: https://www.uc.pt/fluc/ihti/rhi/vol6/pdfs/03_mtavares.pdf
TAVARES, Maria José Pimenta Ferro Os Judeus em Portugal no século XV. Lisboa: FCSH‐UNL, 1982. Vol. I.

E-learning.

O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.

Os estudantes têm de ter acesso a um computador com ligação à Internet, ter um endereço de correio eletrónico e, desejavelmente, possuir literacia informática na perspetiva do utilizador.